Brasileiros no Canadá

“Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.”

Introdução


Embora as relações entre Brasil e Canadá remontem a 1866 quando o Canadá inaugurou sua primeira missão comercial no território brasileiro, o primeiro registro de movimento migratório que se tem conhecimento ocorreu em 1902, quando um grupo de 48 brasileiros viajou em direção a Port Arthur, atual Thunder Bay, ao norte de Ontario (Barbosa, 2012). Por outro lado, de acordo com a mesma autora, a criação da São Paulo Light Company em 1899, marca o princípio do fluxo de canadenses para o Brasil. Inspirado no sucesso paulista, em 1904, foi criada no Rio de Janeiro a Tramaway Light and Power Company. Em 1912, as duas companhias uniram-se sob o nome de Brazilian Traction, Light and Power Company. Por

cerca de oitenta anos, a Light, como era conhecida no Brasil, teve um papel importante no desenvolvimento dos setores de geração de energia hidroelétrica, instalação de linhas de bondes elétricos, fornecimento de gás e telefonia (Armstrong, 1988; McDowall, 1988; Dean, 2005). 

Crescente criticismos do domínio estrangeiro sobre o setor energético brasileiro por parte de setores nacionalistas nos anos 1920s/1930s, junto a problemas de qualidade nos serviços providos pela Light levaram à um descontentamento crescente com a companhia. Nos anos 1950s, foi proposta de criação da empresa estatal, Eletrobrás, e o estado começou a operar a Hidroelétrica de Furnas. A Eletrobrás foi finalmente criada em 1962 e a Light (conhecida agora como Brascan) foi vendida para o governo brasileiro em Janeiro de 1979. Em 1996, o governo de Fernando Henrique Cardoso vendeu a companhia para um grupo de investidores privados. Em 2002 o grupo Francês Electricité de France controlava mais de 94% da companhia.

Há registros, que por quase um século, a empresa recrutou seus administradores e engenheiros em Toronto. Conta-se ainda, que alguns destes técnicos casaram-se com brasileiras eventualmente retornando com suas esposas e filhos dando origem ao primeiro deslocamento permanente de brasileiros para o Canadá. Poucos brasileiros foram trabalhar nos escritórios da empresa no Canadá, embora vários milhares trabalhavam para a empresa no Brasil  (Shirley, 1999). Esse fluxo aumenta nas décadas de 1960 e 1970 quando famílias de refugiados de guerra europeus vivendo no Brasil começaram a reunificar com suas famílias residindo em outros países. Assim, 40% dos imigrantes brasileiros para o Canadá neste período não eram brasileiros natos. Na sua maioria, estes grupos de europeus eram de origem Ucraniana, Alemã e Morávia que tinham emigrado para o Brasil no final do século IXX e começo do século XX e re-migraram para o Canadá. No mesmo período, como resultado da repressão da ditadura militar  instalada em 1964 no Brasil, o Canadá recebeu alguns imigrantes brasileiros incluindo intelectuais como Paulo Freire, Florestan Fernandes, Herbert de Souza e o novelista Sergio Kokis que continua vivendo em Montreal (Schugurensky, 2011; Hazelton, 2002).

Ao longo do tempo, o Canadá viu na imigração uma fonte de promoção do seu crescimento demográfico e econômico. É neste contexto que se insere a imigração brasileira que ganha volume com a crise econômica e política brasileira dos anos 1980 (SEGA, 2018). Este fluxo muda de composição passando, na sua maioria, a ser formado por brasileiros natos que emigravam por motivos econômicos. A imigração brasileira para o Canadá cresceu durante a primeira metade dos anos 1980, até que a partir de 1987 tornou-se obrigatório o visto o que dificultou a entrada dos migrantes no território canadense (Barbosa, 2012). Dado o número significante de brasileiros entrando no país como “turistas,” a partir da metade de 1987, a imigração canadense começou a interrogar os brasileiros antes da admissão e aqueles sem recursos financeiros adequados eram retornados imediatamente para seus pontos de partida (Goza, 1999),

No entanto, em 1985, os imigrantes brasileiros, utilizando-se da decisão do Supremo Tribunal canadense que os pretendentes ao ingresso no país na condição de refugiados não poderiam ser expulsos sem que antes terem o direito a audiência, entravam o país em grande números. O parecer do Supremo também estabelecia ainda que enquanto os pretendentes aguardavam a definição dos seus status, poderiam trabalhar no Canadá e se beneficiarem do seguro nacional de saúde. Além disso, tinham direito a recurso o que lhes proporcionava maior estadia no país (Goza, 1992). 

A partir 1989, esta política foi reformulada, incorporando duas etapas: a primeira, determinava a razoabilidade dos pedidos e, em caso afirmativo, eram concedidos os direitos listados acima. Caso contrário, eram deportados. Numa segunda etapa, os pretendentes eram submetidos a nova audiência da qual resultava a decisão final sobre seus pedidos de refúgio (Ibid.). 

No início da década de 1990, apesar de leis de imigração mais rígidas, a imigração brasileira para o Canadá aumentou (Sega, 2018), desta vez, de cunho claramente laboral aproveitando as campanhas do governo canadense para recrutar trabalhadores qualificados, com anúncios em jornais, revistas e palestras ministradas pela Embaixada e Consulados (Barbosa Nunes, 2003). Ao final do século XX e início do século XXI, observou-se outra vez um crescimento da população brasileira emigrante (Margolis, 2013).

Segundo dados do governo canadense, o Canadá deseja suprir seu déficit populacional admitindo cerca de 1,4 milhão de moradores permanentes nos próximos três anos (Sean Fraser, Ministro da Imigração do Canadá, 2023).

Quantos Somos e Onde Vivemos

O Canadá recebe um número considerável de imigrantes todos os anos. Entre 2001 e 2014, o país recebeu, em média, 249.500 imigrantes. Em 2015, mais de 271.800 imigrantes foram admitidos enquanto estes números alcançaram mais de 296.000 em 2016. Entre 2016 e 2021, o Canadá admitiu pouco mais de 1,3 milhão de imigrantes (Statistics Canada, 2023). De acordo com o Censo canadense de 2021, a população imigrante no Canadá representa 23% da população do país – a maior proporção entre os países do G7. De acordo ainda com a mesma fonte, a maioria destes imigrantes eram oriundos da Índia, Filipinas e China. Em 2021, o Brasil era a  9º principal origem das Américas (Censo, 2021).

Embora o número de Brasileiros no Canadá ainda seja pequeno, ele tem conhecido um crescimento significativo nos últimos anos do século XX e início do século XXI. Segundo o Censo canadense de 2021, 76.665 brasileiros residiam no país (0,2% da população). O Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE) no entanto, estima que em 2020, 122.400 brasileiros residiam no Canadá. O MRE registra ainda uma população de 133.170 brasileiros residindo no Canadá em 2022 representando 2,9% da população brasileira residindo no exterior e 6,4% da população brasileira residindo na América do Norte. Segundo a mesma fonte,  esta população representa um crescimento de 544% em relação ao ano de 2008 quando a população brasileira no país era de 20.650 pessoas. Dados completos podem ser encontrados nos links a seguir: Estatísticas e Mapas.

Como é sabido, as fontes referentes ao número de brasileiros emigrados variam substancialmente. Por exemplo, enquanto o MRE em 2010 estimou 30.146 brasileiros vivendo no Canadá, o IBGE no Censo de 2010 registrou somente 10.540 pessoas. Enquanto o MRE tende a superestimar a população, o IBGE tende a subestimá-la. De acordo com o censo canadense, a população brasileira subiu de 1.365 em 1986, para 12.500 em 2006 (Statistics Canada, 2006). 

O recenseamento canadense de 1990, registrou 5.295 permanente residentes nascidos no Brasil. Entre 1991 e 1995, somaram-se outros 2.245 brasileiros nativos. De 1996 a 2000, o censo registrou 2.510 brasileiros adicionais e entre 2001 e 2005, 5.075 juntaram-se a estes. Somados aos brasileiros que entraram no país entre 2006 e 2010, 10.172, tem-se, segundo esta fonte, um total de 25.292 brasileiros vivendo no Canadá uma estimativa mais perto desta do MRE do que daquela do IBGE.

A maioria dos brasileiros residentes no Canadá estão concentrados nas Províncias de Ontário (47%), Québec (21%), British Columbia (20%) representando 88% da população brasileira residente no Canadá.

Brasileiros em Londres

Enquanto o Censo Britânico de 2001 enumerava apenas 8 mil brasileiros morando em Londres, estimativas não oficiais punham este número entre 15.000 e 50.000 (Cwerner, 2001). Hoje, organizações brasileiras baseadas em Londres estimam que…

Brasileiros nos EUA e em Massachusetts

Este documento é patrocinado pelo Instituto Gaston e pelo Instituto Diaspora Brasil (IDB). Ele atualiza o relatório ‘Brasileiros nos EUA e em Massachusetts: Um Perfil Demográfico e Econômico’ publicado em 2007 por Álvaro Lima e Carlos Eduardo Siqueira.

As comunidades imigrantes…

Brasileiros na Itália

A imigração brasileira para a Itália tem raízes históricas. Na primeira metade do século XIX, o Brasil foi pressionado pelo Reino Unido para acabar com o tráfico de escravos criando uma crescente escarces de mão-de-obra nas zonas de expansão cafeeira. A primeira medida adotada pelos senhores do café …

Brasileiros no Japão

A emigração de brasileiros para o Japão está ligada ao fluxo migratório de japoneses para o Brasil no início do século XX. Impulsionado pelo próprio governo japonês e pela demanda de mão de obra para a cafeicultura em expansão no oeste paulista, cerca de 190.000 japoneses emigraram para o Brasil …

América Central

BRASILEIROS NA AMÉRICA CENTRAL"Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis...

Os imigrantes, principalmente os que chegaram recentemente, são mais propensos a viver nos centros urbanos maiores do que a população canadense nativa. Os brasileiros não fogem à regra. As regiões metropolitanas (Census Metropolitan Areas – CMAs) com maior concentração de imigrantes brasileiros estão localizadas em Toronto (24.000), Vancouver (13.000), Montreal (12.000), Ottawa-Gatineau (7.000), Calgary (3.000), Québec (2.000), Kitchener-Cambridge-Waterloo (2.000), London (2.000), Edmonton (1.000), Hamilton (1.000), entre outras. 

O crescente nível de investimentos entre Brasil e Canadá contribui para o aumento dos fluxos migratórios entre os dois países. Atualmente, o Brasil é o terceiro maior parceiro comercial do Canadá e o quarto investidor após os Estados Unidos, o Reino Unido e a Holanda, com investimentos de $22 bilhões de dólares (Pinto, 2008). Outros aspectos importantes são as incertezas das políticas migratórias dos Estados Unidos, a dificuldade de obtenção de visto nesse país e o clima anti-imigrante, que fazem  

com que os brasileiros cada vez mais escolham o Canadá quando idealmente queriam ir para os Estados Unidos país que mais recebe brasileiros emigrantes (Barbosa, 2009). Assim, a expectativa é que a imigração brasileira para o Canadá não só continue, mas que tenda a aumentar.

Motivos da Partida

Várias são as razões para a partida. A deterioração econômica, social e política no Brasil nos anos 1980, a chamada década perdida, inicia o ciclo de emigração dos brasileiros para a América do Norte, Europa e Japão. Mais tarde, entremeada á crise financeira global de 2007-2008, a crescente violência urbana como mostra o Atlas da Violência 2017, o Brasil continua tendo altos  índices de mortes violentas. Isso torna o Brasil um dos países mais violentos do mundo (taxa de homicídio de 28,9 por 100 mil habitantes). Estes fatores criam desilusão nas classes médias que deixam o país mesmo aqueles que têm bons empregos. De fato, a violência urbana passa a ser um dos fatores determinantes do fluxo emigratório brasileiro no começo do século XXI. Adela Pelegrino (2001) aponta para o fato de que a causa do aumento da emigração latino-americana, envolve principalmente profissionais e indivíduos com alto grau de educação oriundos da Argentina, Brazil e Venezuela. 

Relatório de Pesquisa: Perfil dos Brasileiros no Canadá, 2019.

O golpe parlamentar em 2016 que levou ao impedimento da Presidenta Dilma Rousseff desencadeou um processo político de extrema direita que culminou com a prisão do Presidente Luís Inácio Lula da Silva e a eleição de Jair Bolsonaro. O governo deste último, causou danos incomensuráveis ao país, deixando não só as classes trabalhadoras, alvo permanente da direita, mais também as classes médias em situação de declínio nos seus níveis de vida, além da criação de um clima político de alta tensão e discórdia. Este clima continua nos dias de hoje com a eleição de Luís Inácio Lula da Silva depois de inocentado pelo Supremo Tribunal Federal.

A escolha pelo Canadá não se dá somente pelos fatores citados acima mas também como resultado das campanhas de recrutamento do governo Canadense via anúncios em revistas brasileiras além de reuniões organizadas pelos Consulados canadenses em diversos estados brasileiros. O tipo de imigrante em vista é uma pessoa com alto grau de educação, fluente em inglês e francês com experiência de trabalho no seu campo de especialização (Barbosa Nunes, 2003). Para os brasileiros emigrantes, a atração pelo Canadá se dá pelo seu alto nível de qualidade de vida, economia estável, segurança pública e a possibilidade de desenvolvimento pessoal (Machado, Falcão e Cruz, 2022).  

Relatório de Pesquisa: Perfil dos Brasileiros no Canadá, 2019.

Como referido anteriormente, o Canadá tem visto a imigração como um instrumento de promoção do seu crescimento demográfico e econômico privilegiando a atração de imigrantes com alta qualificação estruturado num sistema de pontos (point-based system of skilled-worker immigration), que leva em consideração fatores como idade, nível de proficiência do inglês e francês, formação acadêmica e trajetória profissional para determinar quem receberá a residência permanente. 

O estabelecimento deste sistema de pontos para a aquisição do visto de residência e trabalho, significa que apenas um número pequeno de brasileiros com educação relativamente alta consegue emigrar para o Canadá. O recrutamento é focado também no preenchimento de necessidades particulares do mercado de trabalho. Cada vez mais o governo canadense prioriza quem já estudou e/ou trabalhou no país pois essas pessoas já estão inseridas na cultura local.

O Quebec é uma exceção pois é a única província que tem poder para definir suas próprias regras de imigração. 

Muitos brasileiros ainda teem preferência pelos Estados Unidos, destino tradicional dos emigrantes brasileiros, mas desistiram deste pela hostilidade existente contra os imigrantes, a idéia da assimilação mais ou menos forçada comparada ao multiculturalismo canadense, além de melhores condições proporcionadas pelo governo para a integração dos imigrantes verso a total ausência de políticas públicas de acolhimento, assentamento e integração nos Estados Unidos. Finalmente, e mais importante, a opção entre Estados Unidos e Canadá pode ser, para muitos, a opção entre a imigração legal no Canadá ou ilegal nos Estados Unidos.

Quem Somos e o Que Fazemos

Segundo o Censo canadense de 2021, tinham 76.665 brasileiros vivendo no Canadá. O Censo canadense revelou ainda que as mulheres representam cerca de xx% da população brasileira. O nível educacional dos brasileiros vivendo no país era relativamente alto com 25% deles tinham diploma universitário. xxxx  . A convalidação dos diplomas  brasileiros tem sido um problema grande forçando parte dos brasileiros a trabalharem em outra área  que aquela de suas formações.

A maior parte dos brasileiros residentes esta empregada (66%), outros 26% encontram-se fora da força de trabalho e 8% estão desempregados. As ocupações mais frequentes eram estas ligadas a profissionais na área de tecnologia da informação, engenheiros, estudantes de graduação, mestrado e PhD e administradores. Ocupações como professores, economistas, profissionais da saúde e advogados também foram citadas. (Paiva, 2018)

A renda familiar é alta com 38,1% dos entrevistados declarando estar ganhando entre 2005 reais a 8.640 reais e 29,4% declarou renda de 11.262 mensalmente (Paiva, 2018).

Finalmente, a autora da mesma pesquisa, afirma que 97% dos brasileiros residentes no Canadá estavam em situação legal. 

Referências Bibliográficas:

Andrès, Bernard. (2003). Que Latino-Americanidade para o Quebec e o Brasil? ALCEU 4, 7: 196 – 210.

Armstrong, Christopher and H. V. Nelles (1998). Southern Exposure: Canadian Promoters in Latin America and the Caribbean, 1896 – 1930. Toronto: University of Toronto Press.

Barbosa, Rosana. (2003). Brasileiros no Canadá: Um Novo e Crescente Grupo de Imigrantes. CANADART, Revista do Núcleo de Estudos Canadenses da Universidade do estado da Bahia 9: 197 -216..

Barbosa, Rosana, (2007). Brazilian and Canadian Relations: A Historical Survey, in: Brasil and Canada in the Americas, Symposium, Gorsebrook Research Institute for Atlantic Canada Studies. Brasil and Canada in the Americas. Halifax, 31 -54. 

Barbosa, Rosana. (2009). Brazilian Immigration to Canada. Canadian Ethnic Studies. Vol. 41, Nº 1-2.

Barbosa, Rosana (2012). Brasil-Canadá: Ligações Migratórias nos Séculos XIX e XX.

Cruz, Eduardo Picanço; Michel Mott Machado; Roberto Pessoa de Queiroz Falcão e Georgia Mariano de Araujo. (2019). Relatório de Pesquisa: Perfil dos Brasileiros no Canadá. CBPq; FAPESP.

Dean, Vernon Alan. (2005). Brazilian Traction, Light and Power Company Limited, 1899 -1919. A Case Study in Geography of Financial Capital. M.A. Thesis. University of Toronto.

Decreto Nº 6592 de 1º de Agosto de 1907 Concede Autorização à “The São Paulo Tramway Light and Power Company Limited para continuar a funcionar na República.

Employment and Immigration Canada. (1989). Immigration to Canada: A statistical Overview. Ottawa. Minister of Supply and Services Canada.

Employment and Immigration Canada. (1990). Annual Report 1989 – 1990. Ottawa. Minister of Supply and Services Canada.

Goza, Franklin. (1994). Brazilian Immigration to North America. International Migration Review 28.1.

Goza, Franklin. (1999). Brazilian Immigration to Ontario. International Migration Review 37.4.

Goza, Franklin. (2003). Redes Sociais e a Integração de Brasileiros no Canadá e nos Estados Unidos. In Fronteiras Cruzadas, Etnicidade, Gênero e redes Sociais. Org. Ana Cristina Braga Martes e Soraya Fleischer, São Paulo, Editora Paz e Terra

Inácio, Giovanna Raquel (2020). Direito Internacional e a Imigração Laboral. Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Faculdade de Direito.

MacFadden, Maria Adelia Jorge. (2003). Caraccterísticas Psicolssociais de um Grupo de Imigrantes Brasileiros no Canadá. CANADART, Revista do Núcleo de Estudos Canadenses da Universidade do estado da Bahia.

MacFadden, Maria Adelia Jorge. (2004). Social Insertion and Identity Construction of Second Generation Brazilian Immigrants in Canada. Interfaces, Revista da ABECAN 4.

Margolis, Maxine. Brazilians in the Unites States e Canada, Europe, Japan and Paraguay. In: Encyclopedia of Diaspora: Immigrant and Refugee Cultures Around the World, editado por Melvin Ember, Carol R. Ember and Ian Skoggar, (Volume 2).

McDowall, Duncan. (1988). The Light. Brazilian Traction, Light, and Power Company Limited. 1899 – 1945. Toronto: University of Toronto Press.

Ministério das Relações Exteriores do Brasil – MRE (2021). Comunidade Brasileira no Exterior: estimativas Referentes ao Ano de 2020. 

Paiva, Clara Radicetti (2018). Fluxos Migratórios Recentes: Um estudo de casos dos Emigrantes brasileiros no Canadá e Portugal. Universidade Federal do rio de Janeiro, Instituto de Economia. Rio de Janeiro.

Reis, Rosana Rocha e Teresa Sales Org. (1999). Cenas do Brasil Migrante. São Paulo: Boitempo Editorial.

Sales, Teresa. (1998). Brasileiros Longe de Casa. São Paulo: Cortez Editora.

Simmons, A. (1990). New Wave Immigrants: Origins and Characteristics. In Halli, S. S.; Trovato, F. and Driedgar, L. (Eds). Ethnic Demography: Canadian Immigrant, Racial and Cultural Variations. Ottawa. Carleton University Press. P. 141-159.

Shirley, Robert W. (1999). Brazilians in: Paul Robert Magocsi and Multicultural History Society of Ontario. Encyclopedia of Canada’s Peoples. University os Toronto Press. 

Statistics Canada (2006). 2006 Census:Detailed Country of Citizenship – 20% Sample Data.

Vidal, Maria do Socorro. (2000). Brasileiros no Canadá. A Descoberta de Novos Caminhos. Ph.D. Dissertação. Pontífica Universidade Católica, São Paulo.

Porque os Brasileiros Voltam – O Retorno

O artigo “O sonho frustrado e o sonho realizado: as duas faces da migração para os EUA”, de Sueli Siqueira, apresenta quatro tipos de retorno. O primeiro é o “retorno temporário”, quando o imigrante define os Estados Unidos (ou outro país qualquer) como seu local de residência, juntamente à sua família assim como …

Remessas Sociais

As remessas são, em geral, entendidas somente como remessas monetárias. No entanto, elas podem também ter natureza social cultural. Peggy Levitt em seu artigo Social Remittances: Migration-driven Local-development Forms of Cultural Diffusion (1998) e subsequente livro The Transnational Villagers (2001), cunhou o termo “remessas sociais” (social remittances) para realçar o fato de que os imigrantes…

Remessas Monetárias

A globalização está acelerando a migração internacional. Impulsionada por uma série de fatores, tais como a crescente necessidade de mão de obra qualificada e não qualificada nos países desenvolvidos dado o baixo nível de fertilidade e o rápido envelhecimento da população; persistente pobreza…